sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Passageiro

    Talvez se ela soubesse que tudo é passageiro. Talvez se ela soubesse que um dia teria que seguir sua própria estrada e que isso incluía alguns abandonos; talvez se ela não tivesse cultivado lixo como se fossem rosas. Talvez assim, tivesse aprendido sua lição e pudesse seguir sua trilha sem olhar pra trás. Se praticasse o desapego e soubesse que certas coisas nos modificam, deixam cicatrizes, mas jamais serão eternas, ela não teria carregado seu fardo por tanto tempo. Não teria derramado tantas lágrimas desnecessárias e nem retardado seu caminho só pra arrastar aquilo há tempos já não lhe pertencia.           

Um comentário:

  1. Uau! Amei! De uma certa forma é tocante, e pura realidade.

    ResponderExcluir